quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

A pós-modernidade e o mistério do eu

Epifania

A pós-modernidade é a atual forma de organização do capitalismo contemporâneo, conhecida como globalização. A globalização é fruto da redução brutal dos custos de transportes e da Revolução da Telemática, que possibilita aos capitais, à tecnologia e à informação viajar em tempo real para qualquer parte do planeta. A realidade mais pós-moderna que existe é o Facebook, a rede social que interliga pessoas em todo o planeta.

Hoje eu faço aniversário. Acabei de receber os parabéns de Budapeste (Hungria), de Salvador e de Florianópolis. A pergunta que eu me faço, andando pelas ruas da pós-moderna São Paulo, é "como fica o mistério do nosso eu nessa história toda"? Porque antes as pessoas podiam se iludir, confundindo o mistério do seu eu com a cultura, com o lugar no qual habitam, mas hoje a pós-modernidade, a globalização vem nos tirar todas essas ilusões. A pós-modernidade vai nos movendo pelo mundo, fazendo-nos, qual novos Ulisses, ultrapassar as novas Colunas de Hércules, e mostarndo-nos o quão relativo era aquilo que críamos como absoluto.

No ano que passou eu morei em três cidades diferentes: Salvador, Aracaju e agora aqui em São Paulo. Isso deixa marcas indeléveis no nosso ser, no nosso eu. Qual é a consistência do meu ser, da minha pessoa? Porque se tudo é tão efêmero, tão volátil, o que é que consiste, que dura? O que é que verdadeiramente tem valor? Essa é a pergunta que não saído da minha cabeça nas últimas semanas.

O baluarte contra o niilismo pós-moderno é somente o nosso coração. A cultura é a tradução das tentativas do nosso coração de encontrar uma resposta à sede de significado. As culturas são relativas, mas o coração é absoluto. A exigência de justiça é absoluta, a exigência de amor é absoluta, a exigência de verdade é absoluta! Isso se vê até mesmo na cultura pop pasteurizada e difundida em todo o mundo! Se a globalização relativiza as culturas, se mostra que muito do que críamos como absoluto era na verdade, relativo, a pós-modernidade começa a criar uma cultura global, animada por tipos como Amy Winehouse (no Brasil este mês). Se está emergindo uma verdadeira cultura global é porque os povos estão se encontrando. A sede de absoluto permanece, porque o coração é único em todos os lugares e tempos. É belo que hoje é a festa da Epifania (Manifestação) do Senhor aos Magos, representando todos os povos: o Senhor, o Mistério, o Absoluto veio, não somente para os judeus, mas para todos os povos! A pós-modernidade é uma grande oportunidade de reconhecer isso, porque o que todos os pós-modernos buscam é uma coisas só: Jesus Cristo! E Ele me encontrou!